Faixa Atual

Título

Artista

Atual

NTR CLASSIC HOUR

22:00 22:59

Atual

NTR Classic Hour

22:00 22:59

Atual

NTR CLASSIC HOUR

22:00 22:59

Atual

NTR Classic Hour

22:00 22:59

Background

DIA MUNDIAL DO JAZZ

Escrito por em Abril 29, 2021

O Dia Internacional do Jazz é celebrado a 30 de abril. A data foi criada pela UNESCO e anunciada pelo pianista e embaixador da boa vontade da UNESCO, Herbie Hancock. Foi em 2012 que se celebrou pela primeira vez o Dia Internacional do Jazz.

Fernando Ziegler Raimundo

Fernando Ziegler Raimundo

Deixamos aqui um poema um poema evocativo da data, despretensioso, improvisado, como se requer no Jazz! como define o autor Fernando Ziegler Raimundo
MEMÓRIAS SOLTAS
(Um poema de Jazz)
Passava da meia-noite
Quando entrei num bar
Em Brooklyn
Nos anos 70
O fumo era muito
E as conversas soltas
Soltas como notas musicais
Pontuando o ambiente escuro
As palavras caíam dos cigarros
E os músicos sopravam
Batiam
Cantavam em scat
Grupos de jovens
Alguns já velhos
Bebiam
Bebiam aquela música
Que nos faz bater o pé
E estalar os dedos
Ou simplesmente abanar a cabeça
Música que vive
Do momento
Que sai da jaula
Sem pauta
Por não ser escrita
De tradição oral e sentida
De geração em geração
Gerada
E transmitida
Por ser esse o seu fermento
Porque é esse o seu formato
Dá-se um tema
Que se apresenta
Como mote
Cada músico improvisa
No fim dobra-se
Repete-se
Quase como um Fado
Daqui as caravelas partiam
E chegavam
Lá os escravos aportavam
Como mercadoria
Levavam o sofrimento
Transformado em cânticos surdos
Traziam a selva africana
A savana
O uivar do coiote
O rugir do leão
O bramir do elefante
O guinchar do macaco
Traduzidos em
Sons metálicos e
Urbanos
Prenúncios de uma
Outra selva sem lei
Que a inventiva musical
Interpreta e compõe
As pulsões de vida
E de morte
A floresta e o zoo
As varas do trombone
E as três estéticas:
Catástrofe
Grito
Zumbido
Os avatares da
Liberdade
O free
Noites de cerveja
De ritmo
E bebedeira
Improvisações
Em surdina
Beijos húmidos
E palmas
Eis que a manhã aparece
Já com os olhos cansados
E os cigarros apagados
É ao som da voz de Sarah
Que naquele bar
De Brooklyn
Eu me despeço
Do Jazz


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Continue lendo