Faixa Atual

Título

Artista

Atual

NTR BY MORNING

08:00 10:59

Atual

NTR by Morning

08:00 10:59

Atual

NTR BY MORNING

08:00 10:59

Atual

NTR by Morning

08:00 10:59

Background

“SALGUEIRO MAIA – DAS GUERRAS EM ÁFRICA À REVOLUÇÃO DOS CRAVOS”

Escrito por em Abril 24, 2021

Este livro, da autoria de Moisés Cayetano Rosa, é uma co-edição das Edições Colibri, Associação 25 de Abril e Associação Salgueiro Maia com prefácio de Sua Excelência o Senhor Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa.
Salgueiro Maia – Símbolo de coragem dos militares de Abril que, por imperativo ético, decidiram intervir colocando um ponto final à ditadura do Estado Novo, devolvendo a Democracia e a Liberdade ao Povo Português e criando condições para o fim da Guerra Colonial.
A obra está constitui ”uma espécie de biografia” de Salgueiro Maia sugerida na sequência de uma visita de estudo à campa do capitão de Abril em Castelo de Vide.
Segundo o autor este seu mais recente livro resulta “de um ano de intenso esforço, pesquisando em arquivos, documentos, documentários, jornais, publicações memoriais, narrativas, investigações, entrevistas pessoais, contactos de todos os tipos e uma ajuda muito generosa de amigos, conhecidos, pessoas comprometidas com a causa que venho aprofundando, e em que de forma mais ou menos “obsessiva” venho trabalhando há não menos de 25 anos”.
Para Moisés Cayetano Rosado, Salgueiro Maia foi um “homem excecional com o qual todos temos que aprender” e o seu trabalho também pretende ser mais uma “homenagem a quem tanto devemos pela sua ação e exemplo”.

Do prefácio de Sua Excelência, o Presidente da República, Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa. (Edição portuguesa)

“Foi há quarenta e dois anos! ¶ Um homem em cima de uma Chaimite. Que interpela o poder que está a cair, enquanto o novo poder tarda em chegar. ¶ Simples. Sem ambições de mando ou de glória. ¶ Que ali está porque sente dever cumprir aquela missão militar, que é também e acima de tudo cívica. ¶ Que não pensa um segundo sequer no simbolismo daquela presença, nem no significado histórico daquele momento. ¶ Que, terminada a missão, regressa ao quartel, para voltar a ser o que era. Com a naturalidade de quem não reclama louros, nem aspira a celebridade. ¶ À sua maneira, Salgueiro Maia deu expressão a um povo e a uma maneira de ser e de viver ao longo dos séculos. (…) ¶ Salgueiro Maia foi o retrato desse povo, que é o que Portugal tem de melhor. (…) ¶ Foi esse povo que fez Portugal. E, nele, os soldados de Portugal. Sem ele e eles os chefes mais ilustres não teriam triunfado, os políticos mais brilhantes não teriam vencido, os empreendedores mais visionários não teriam criado.”

Índice:

PREFÁCIO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA
Nota do Editor
MOTIVAÇÃO. VIAGEM A CASTELO DE VIDE

TRAGÉDIA. TREZE ANOS DE GUERRAS COLONIAIS.
O processo descolonizador.
Os sucessivos massacres e os contratempos iniciais.
A UPA marca o início sistematizado.
Revés na Índia.
Generalização das guerras em África.
Recrutamento para as guerras.
Os custos humanos das guerras.
Despesas com a Defesa e com o Estado.
O desencanto e mentalização dos militares.
Salgueiro Maia nas colónias de África.

REVOLUÇÃO. REVOLUÇÃO DOS CRAVOS.
Marcos para uma rebelião militar.
A Revolução em marcha. Protagonismo inesperado de Salgueiro Maia.
Do 25 de Abril de 1974 ao 11 de Março de 1975.
Salgueiro Maia posto em causa.

FOTOGRAFIAS

DESENCONTROS. ENTRE O 11 DE MARÇO E O 25 DE NOVEMBRO
O Processo Revolucionário em Curso – PREC.
Salgueiro Maia, de novo, visado.
A Constituição da República.
Últimas ofensas.

EPÍLOGO.

SIGLAS.

FONTES, BIBLIOGRAFIA E LIGAÇÕES.

 

MOISÉS CAYETANO ROSADO, o Autor desta obra, tem a particularidade de poder olhar, de forma mais distanciada e desapaixonada, os acontecimentos que narra nesta obra diferentemente de autores portugueses que se têm dedicado aos temas da Descolonização, do 25 de Abril e da acção e personalidade do Capitão Salgueiro Maia. É um historiador, interventivo e corajoso, na busca da verdade histórica e da defesa e salvaguarda da cultura do seu país, mas também apaixonado pelo seu país vizinho – Portugal – participando na organização de inúmeros eventos literários e culturais. Nasceu em La Roca de la Sierra (Badajoz, Espanha), em 1951. É licenciado em Filosofia e Ciências da Educação. Mestre em Instrução Primária e tem doutoramento em Geografia e História.

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Continue lendo

Próximo post

FERNANDO TORDO


Miniatura